quarta-feira, 11 de novembro de 2009

O não me basta

Meu maior erro foi não saber dizer não
Estar só me faz voar sem coleira
Sem fronteira à frente
Escrever versos sem temer represália
A qual me proporcionava
A cada estrofe que lia

Simples, aguardo um amor de volta.
Simples, sendo assim sinto-me bem. Acorda!
Seja feliz aqui e agora
Pois meu amor vem e vai
Sem demora
Sem medo de sangrar vai embora

Há de existir algo que não me faça sorrir
Talvez, todas as coisas que vi em ti.
Em segredo, um choro.
Sem afeto, demasiados sorrisos.
Lamúria de quem perde
Vertigem de quem pisa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Calendário