terça-feira, 21 de abril de 2009

Par de um só

Lindo amor que não cabe em meu coração
É tão imenso que não o sustento
És expelido pelos orifícios do prazer
Condicionando desejos ardentes
Inspirando emoções que nunca pensei sentir

Tais emoções crucificadas pela sociedade
Impiedosa, imponente, poderosa.
Suas línguas possuídas
Seu senso desigual
Porque meu amor não pode ser igual?

Amor este que traz
Opressão, angústia, insatisfação.
Me fez desistir de amigos
Ver meus pais serem inimigos
Me fez parecer ridículo

Estamos isolados
Pois somos, o que não podemos ser.
Temos que nos esconder
Não pode estar aqui ou ali
E pode ser eu ou você

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Calendário