quarta-feira, 13 de maio de 2009

Nada é do jeito que um dia foi

Os beijos que lhe dei
Os abraços que compartilhei
As loucuras que fizemos
As ambições e os desejos que temos
Nada seria se você não existisse

Nosso louco amor insaciável
Dois insanos descontrolados
Não dando trela para o tempo
E de forma considerável
Embalamos em nossos sonhos

Cada segundo que passa
Todas as nuvens que vi
O pôr-do-sol que se arrasta
E para todas as gostas da chuva
Que ainda assim, não deixam de cair

Meu amor por ti sobra
Aproveitando o tempo no caminhar das horas
Desejo passar toda minha vida ao seu lado
Deslizando em cada curva tua
Obcecado por ser o “dono dessa obra”

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. um dia eu pensei q tivesse amado alguem...mas depois de ler esse poema fiquei me perguntando se realmente era amor...começo a pensar q não...

    ResponderExcluir

Calendário