quarta-feira, 13 de maio de 2009

Perdido no espaço das horas

Como sempre te disse
Não haverá o dia de amanhã
Se não viver o dia de hoje
E foi assim que aconteceu
Não vivi o dia de hoje
Que se acumulou para o dia seguinte
Deixou-se encher e ficou para o outro
Assim deu-se a perda

Hoje estou obcecado
Minha cabeça dói
Minhas vistas está cansada
Com medo da morte
Totalmente preocupado

Não tive infância
Não vivi como criança
Já tudo vi e logo cresci
Amadurecer para oque?
Só para entender o porquê?

Mas fica a latejar
Quando vejo que a noite chegou
Daqui a pouco vai partir
E não suportando
Logo tenho que ir dormir

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Calendário